Premiados da Mostra

Mal dos Trópicos

Direto do Jornal da Mostra:

A cerimônia de encerramento da 28a. Mostra BR – Mostra Internacional de Cinema, antes do show da cantora inglesa Jane Birkin no Sesc Pinheiros, trouxe uma novidade: a criação de um novo prêmio, “Humanidade”, especialmente para Manoel de Oliveira. O cineasta português, de 95 anos, foi um dos convidados de honra desta edição da Mostra, onde apresentou seu mais recente trabalho, “O Quinto Império – Ontem como Hoje”, um ensaio político e poético em torno da figura do rei D. Sebastião.
.
O cineasta iraniano Bahman Gohbadi mais uma vez revelou-se uma rara unanimidade do público e do júri da Mostra. Este ano, o público considerou como melhor filme estrangeiro de ficção seu mais recente trabalho, “Tartarugas Podem Voar”.O júri da 24a. Mostra premiou como melhor filme o trabalho de estréia do diretor, “Tempo de Embebedar Cavalos” (empatado com “Capitães de Areia”, de Maria de Medeiros, e “Billy Elliott”, de Stepehn Daldry). Na 26ª., novamente o júri premiou como melhor filme “Exílio no Iraque”, segunda incursão de Gohbadi na direção.
.
Os outros preferidos do público foram “Feminices” de Domingos de Oliveira (melhor filme de ficção brasileiro), “Fábio Fabuloso”, de Pedro Cezar, Ricardo Bocão e Antônio Ricardo (melhor documentário brasileiro) e “Memorias del Saqueo”, do argentino Fernando Solanas (melhor documentário estrangeiro).
.
O júri – formado por Cacá Diegues, Frederik Thor Fridriksson, Abolfazl Jalili, George Sluizer, Elisa Resegotti e Phillippe Maynial – elegeu como melhor filme de ficção a produção americano-colombiana“Maria Cheia de Graça”, de Joshua Marston.Também concedeu duas mençõees honrosas, ao filme iraniano “Tartarugas Podem Voar”, de Bahman Gohbadi, e à produção dinamarquesa “Nas Suas Mãos”, de Annette Olesen. O melhor documentário foi o brasileiro “Estamira”, de Marcos Prado.
.
Já os críticos elegeram o filme tailandês “Mal dos Trópicos”, de Apichatpong Weeresathakul, como o melhor da 28a. Mostra, concedendo menção honrosa à produção argentina-espanhola “La Niña Santa”, de Lucrecia Martel.

Related Posts with Thumbnails
This entry was posted in cinema and tagged , , . Bookmark the permalink.

One Response to Premiados da Mostra

  1. Leia Beigler says:

    Bibi
    Mal dos tropicos nao e horrivel,mas saí antes de acabar.
    Nao deve ter sido o melhor filme da Mostra.
    0 para os criticos.
    Estou no Rio e so chove.

Comments are closed.