O Guia do Mochileiro das Galáxias

O Mochileiro das Galáxias
Todo mundo tem um livro que precisa ler antes de morrer. Eu tenho uma lista gigante, mas do jeito que está vai demorar um pouco. Um desses livros obrigatórios era O guia do mochileiro das galáxias de Douglas Adams. Todos os meus amiguinhos geeks já tinham lido, ou a tradução brasileira de 1980 ou no original. O pior era aguentar as piadas que eles achavam o máximo e eu não entedia nada. Pois bem, tinha que ler esse livro para descobrir a origem daquelas piadas. O resultado não foi o esperado porque as piadas sumiram. Como? Tradução. Sempre disse que tradução é uma arte, traduzir não é apenas selecionar a palavra que melhor traduz, é achar a espressão, é criar. A tradução do livro está boa, as palavras estão certas, mas parte das piadas em inglês morreram, perderam o sentido na tradução. Talvez uma tradução bilíngue fosse a melhor saída ou uma transcriação do texto. Quem leu a edição de 1980 disse que a tradução estava ótima, já que o jogo de palavras que Douglas Adams foi mantido. Eu tenho testemunhas que leram as duas e acharam a outra muito superior. Mesmo com o problema da tradução é possível perceber através de nuances as piadas através do modo como Adams escrevia e até pegar algumas piadas que sumiram na tradução se o seu inglês é razoável.
Uma das primeiras piadas que morre é a falta do aviso Don’t Panic na capa do livro. É, não achei o livro hilariante como descreviam para mim. Outro motivo de eu não ter achado tanta graça no livro são as piadas sobre ciência, física e matemática. Quem conhece bem estas áreas deve gostar mais do que eu do livro. Sim, é um livro para geeks mesmo.
Apesar de tudo eu recomendo o livro. Gostei dele, comecei a achar várias referências nele com internet, vide Babel Fish e Trillian, entendi as piadas dos amigos e reconheci que Adams escrevia muito bem. Tanto que li o livro seguinte: O restaurante no fim do universo.
O Restaurante do Fim do Universo
Esse eu recomendo mesmo. A tradução está bem melhor e a aventura fantástica iniciada no primeiro fica ainda melhor. Adams conseguiu criar todo um universo fantástico, os personagens, os planetas e as descrições que aos poucos vão envolvendo e divertindo. Mas é importante ler o primeiro para entender o segundo. Para quem gosta de ficção científica e humor inglês e refinado (às vezes nem tanto), os livros de Adams são um prato cheia. Leia.
PS.: vem por aí o filme do The Hitchhiker’s Guide to the Galaxy.

Related Posts with Thumbnails
This entry was posted in books and tagged , , , . Bookmark the permalink.

One Response to O Guia do Mochileiro das Galáxias

  1. Diauspiter says:

    está na minha lista também… breve neste cinema!

Comments are closed.