Efeito Orkut: devagar e sempre?

Who do you know?
Para aqueles descrentes que não conseguiam me ver sem o orkut eu consegui provar que estavam errados: mais de uma semana longe. Ok, confesso que há vários motivos por trás disso e essa é uma das razões porque não posto aqui a um longo tempo. Distância do computador é uma delas. A isso pode ser somado tempo ocupado com outras atividades e o início de uma organização no computador que em breve será formatado, como todo ano acontece com o coitado.
O efeito orkut me mostrou algumas coisas:
– As pessoas continuam me adicionando (e adicionando outras pessoas) por lá sem nem conhecer e sem fazer muita questão de serem aceitas. Foram 21 convites de novas pessoas sendo que nenhuma delas me enviou um e-mail nem para dar oi.
– O pessoal não sentiu muito a minha falta por lá. Será que sentiu? Vejamos, um testemunho novo de uma pessoa muito querida, uns seis ou sete scraps desde a última vez que entrei e alguns e-mails, que a sem noção aqui ainda nem sequer respondeu. Aliás quem quer realmente manter contato comigo acaba mandando e-mail.
Quanto aos scraps, calma que aos poucos eu respondo, porque acabei de ir parar na cadeia lá. Respondi alguns scraps, postei em algumas comunidades, limpei algumas mensagens, e tive alguns entre essas atividades o que me mandou rapidamente para a cadeia.
Com relação às pessoas que me adicionaram, vi o perfil de cada uma lá para confirmar se conhecia ou não. Como ando cada vez mais chata não aceito mais gente que nunca vi pessoalmente ou que nunca converso nas comunidades. Sim, alguns vão achar que é o fim dos tempos, justo eu a maníaca do começo agora estou controladíssima e só aceito na minha lista de amigos pessoas que conheço ou com as quais conversei no Orkut. Ah, claro tem mais gente que eu conheço por lá, mas que não faço questão nenhuma de encontrar de novo na minha vida.
Voltando ao efeito orkut, o curioso é que cada vez entram mais pessoas e o meu número de mensagens para amigos de amigos parece que estabilizou (num patamar alto, mas não aumentou). Será que as pessoas agora ficaram mais educadas? Bem, depois da divulgação em diversas mídias como Globo, VEJA, Magnet, Época, Folha de São Paulo, INFO, Diário de S.Paulo, Super Interessante e sabe-se se lá quantas mais (basta fuçar no Google), o número de usuários continua subindo, devagar e sempre com 1961561 pessoas na última contagem (agora).
Para os que gostam de saber proporções, está mais para PA do que para PG. E voltando à Superinteressante, o orkut foi matéria de capa (uma das duas capas da revista nesse mês) e tem até umas coisas que eu respondi, mas… Hum… Deixa pra lá porque depois de ver na revista eu fiquei com vergonha.
Confesso que virei uma moderadora relapsa deixando minhas comunidades ao vento durante essa semana, mas não foram só elas, eu também não postei nada por aqui nos últimos dias. Nem meu Bloglines eu li! O crescimento das minhas comunidades continua lento, mas não faço questão de vê-las cheias. A comunidade Eu não sei programar 🙁 virou a minha comunidade piada.
Bom, deixe-me explicar melhor: eu criei a comunidade porque eu realmente não sei programar e não tenho interesse nisso, mas boa parte dos meus amigos são programadores e adoram falar disso. Não entendo muito mas tenho algumas noções e adoro coisas de tecnologia e internet. Aí eu entendo bastante para quem não é da área. Acontece que a comunidade que era para pessoas discutirem sobre programas, internet e tecnologia virou comunidade de programador! Basta dar uma rápida percorrida pelos tópicos e ver nomes de linguagens de programação espalhadas por lá. Bom, agora não posso fazer mais nada a não ser observar o movimento lá.
Já a Orkutiqueta cresce pouco, mas pelo menos o pessoal que está lá é super prestativo e são quase mil pessoas que querem ser educadas com as outras, o que para mim é uma recompensa e tanto. E a comunidade azarão foi a Cinema brasileiro que eu já estava muito contente com umas cem pessoas, achando incrível quanta gente gostava de cinema no Brasil e agora tem mais de 12000 pessoas. Ela virou o meu orgulho. 🙂
Como muitos já disseram por aí e como sempre acontece, o brinquedo quando é novo é divertido, mas as crianças logo cansam. Quanto tempo será que o pessoal mais animado (para não dizer bagunceiro) vai agüentar lá? Eu estou em outros sites sociais, mas a minha fidelidade pertence ao orkut. Tenho saudades do início, com meia dúzia de pessoas, eu completamente perdida e conhecendo dezenas de pessoas interessantes que talvez nunca encontre pessoalmente.
Tenho saudades dos posts do Adam, da Emmy, Damizi, Bine e do grupinho animado que não perdia uma comunidade de piadas. Alguns eu mantenho contato através dos weblogs, mas não é como antes. Há gente demais, comunidades demais, bagunça demais e falta muito tempo para tudo que eu quero fazer e ver. Nunca imaginei ter comunidades tão grandes, conhecer tanta gente e reencontrar tantos velhos amigos.
Acho que segunda fase do orkut, agora sobre domínio brasileiro (em número claro) é de ligação de pessoas conhecidas (mais uma vez com relação ao Brasil). É por isso que eu continuo lá. Se eu abandonasse o orkut algumas pessoas iriam sentir a minha falta, mas conheço várias pessoas para deixar as comunidades em boas mãos. Não deixo por vício, por saudosismo e porque não quero perder o contato de pessoas que a muito não via e foi maravilhoso reencontra-las, mesmo que apenas através da internet.
Claro que também conheci pessoas maravilhosas nessa onda de brasileiros entrando lá no site, pessoas com as quais mantenho contato. Meus novos amigos virtuais são aqueles que de alguma forma me conquistaram pelos gostos comuns, pela conversa, pela troca de informações, porém aquelas que conheci pessoalmente depois do contato por lá são agora parte da minha realidade.
Só tenho uma coisa a lamentar: queria ser fã do Orkut e agradecer pela ferramenta maravilhosa que ele criou. Muito obrigada.

Related Posts with Thumbnails
This entry was posted in Internet, social software and tagged , , , , . Bookmark the permalink.